EVENTOS

Por: Filipe Jahn(Redator)

Abertura oficial do festival presta homenagem ao cineasta cubano Pablo Ramos

Mais de 200 inscritos, 101 obras selecionadas para a competição, envolvendo doze países da Íbero-América. O saldo apresentado durante a cerimônia de abertura do Festival ComKids Prix Jeunesse, serviu para mostrar logo no início da premiação a sua força crescente na região.

A abertura do evento, que aconteceu no auditório do Sesc Consolação de São Paulo, também teve o objetivo de apresentar um dos princípios do festival: a necessidade de criar um diálogo constante para criar e inovar na produção infantojuvenil.

No depoimento de abertura, o diretor do Sesc-SP Danilo Santos de Miranda falou sobre a importância de reafirmar a importância do olhar sobre a educação das crianças. Para o diretor, o festival contribui para oferecer às próximas gerações um legado de valores como respeito e solidariedade. “Nossa missão é profunda e por isso estamos aqui”, afirmou.

Público presente na abertura crédito: Danila Bustamante

Público presente na abertura
crédito: Danila Bustamante

Já Beth Carmona, diretora-geral do ComKids, lembrou que sua formação se deve principalmente pelas suas experiências com o Prix Jeunesse e que percebe uma avanço quando começou a promover conexões relacionadas à obras para crianças, cerca de quinze anos atrás. “Temos um nível de qualidade crescente na América Latina, especialmente em decorrência de diálogos como esse”, comentou.

A diretora geral do Prix Jeunesse Internacional e diretora do Instituto Central Internacional para a Juventude e Televisão Educativa, Maya Götz, comentou que o ambiente experimentado evocava duas palavras: “importância”, pela representatividade que a televisão e programas como os que estão na competição têm para as crianças, e “maravilhoso”, por ver um movimento sendo construído, na direção da qualidade. “Em momentos como esse podemos abrir a perspectiva do outro”, completou.

Maya Götz discursa durante a cerimônia crédito: Danila Bustamante

Maya Götz discursa durante a cerimônia
crédito: Danila Bustamante

A cerimônia de abertura contou ainda com uma homenagem ao cineasta cubano Pablo Ramos, falecido em 24 de maio. Em um discurso emocionado, a cineasta boliviana Liliana de La Quintana falou sobre a perda: “Foi um companheiro sincero e sensível, que abriu portas para um universo em construção. Um visionário generoso e interessado em responder às necessidades das crianças da América”.

Após o fim do evento, o festival continuou com a exibição das produções finalistas da categoria 12-15 anos ficção.